Como proteger o orçamento das mudanças na inflação?

Como proteger o orçamento das mudanças na inflação?

Entre as décadas de 80 e 90, as famílias brasileiras conheciam de perto o significado da palavra inflação. Após a implementação do real e a retomada da economia, o país viveu anos dourados e parecia que esse fantasma não assaria o Brasil a qualquer hora logo.

No entanto, a inflação reacendeu um medo: a redução do poder de compra. Com o aumento dos preços dos alimentos, os combustíveis e, agora, na energia, esses itens tão essenciais estão agitando o planejamento financeiro da população. 

Nesse cenário, provavelmente você se pergunta como proteger o seu planejamento financeiro diante dessas mudanças no cenário econômico do país. Para te ajudar, é necessário primeiro entender alguns conceitos. Por isso, basta seguir as dicas que elaboramos para reduzir o impacto da inflação sobre suas finanças. Vamos lá?

Como funciona a inflação no Brasil?

Para simplificar, a inflação funciona aumentando continuamente os preços de várias categorias de bens ou serviços que são essenciais na vida das pessoas. 

Essa mudança nos preços é uma condição existente na economia, de olho no Banco Central para gerenciar o valor real do dinheiro e intercedendo com seus instrumentos de controle.

Mas afinal, que impacto tem na vida cotidiana?

O impacto da inflação no dia a dia é notadamente negativo, já que o salário real não acompanha o aumento dos preços. Consequentemente, seu poder de compra fica defasado, afetando a economia do país. 

Ter uma economia com alta taxa de inflação por um período prolongado afeta todos os players do mercado, desde o empreendedor até o consumidor final. Por sua vez, o cenário diminui a confiança dos investidores.

Como proteger o orçamento com mudanças na inflação

Como você faz para proteger o seu orçamento com essas mudanças constantes na economia? Quando o assunto é inflação no planejamento financeiro das famílias, é importante adotar uma série de medidas, como:

  • Evite gastos supérfluos;
  • Aproveitem a internet para pesquisar preços antes de comprar;
  • Faça seu dinheiro trabalhar para você;
  • Substitua alguns de seus itens de consumo. 

Cuidado com os pequenos gastos

A luz do quarto está acesa, mas você está na cozinha. Que tal apagar a luz? Racionalizar implica prestar atenção ao comportamento de consumo. Essa é a primeira maneira de diminuir seus gastos.

PagSeguro por um cartão de crédito que você nem usa? Vale a pena? Corte o gasto e, se for possível, opte por um cartão sem anuidade!

Assista a todos esses gastos “pouco” e reflita se eles fazem sentido e são importantes para o planejamento financeiro. O importante é cortar o que é supérfluo e salvar itens como luz, ração e o que mais você pode obter.

Pesquisa e comparação antes de comprar ou contratar algum serviço

Com internet e a explosão de lojas online, é cada vez mais fácil pesquisar valores de qualquer item que você pretende adquirir. Caso você prefesse consumir em pontos de venda físicos, você tem a opção de fazer uma análise antes de bater o martelo.

O mesmo é válido para os serviços que você contratar. De pacote de internet, serviços de streaming, até cartão de crédito ou solicitação de um empréstimo online, por exemplo.

Aquele pequeno detalhe pode fazer muita diferença no seu planejamento financeiro no final do mês. Por isso, antes de comprar qualquer item ou solicitar um serviço: pesquida!

Procure boas maneiras de investir

Faça seu dinheiro trabalhar para você. Então, busque uma renda que esteja acima da inflação. Enquanto isso, leve em conta um investimento que o perfil tem a ver com o seu, visando beneficiar o seu planejamento financeiro.

Para entender qual é a melhor forma de investir, é preciso determinar metas e prazos para que os recursos possam manter uma reserva de baixo risco para cobrir imprevistos, porque eles acontecem.

Hoje em dia, há muitas consultorias na área que o guiam para o caminho ideal. 

Substituir alguns itens de consumo

Quando é necessário ter controle financeiro, algumas medidas são mandatórias. Um dos mais clássicos e recomendados pelos economistas é a substituição de marcas de produtos para não pagar valores altos. Um exemplo famoso é de carne vermelha, que você pode substituir por frango ou peixe. 

Esses substitutos podem acontecer em planos de saúde, mensalidades privadas, streamings, operador de celular e onde mais você achar necessário.

É claro que você deve analisar cada caso antes de qualquer tomada de decisão, para evitar que uma eventual deficiência no plano de saúde possa fazer com que você impacte impactos negativos. No entanto, quando feito com organização e de forma sistemática, a substituição pode ser um grande aliado do seu planejamento financeiro.

Mudar no comportamento

Com certas mudanças em seu planejamento financeiro pessoal, conforme listado acima, será muito mais fácil gerenciar para proteger seu orçamento mesmo com as grandes mudanças na economia do país. Infelizmente, estamos passando por essas instabilidades e o seu comportamento será um grande diferencial para ter sucesso com suas finanças.

Você concorda com a afirmação acima? Deixe nos comentários o que você considera como a maior barreira para essa mudança!

Aviso: O texto apresentado nesta coluna não reflete necessariamente a opinião do CriptoFácil.

Leia também: Os analistas do TradingView apontam 4 criptomoedas com tendência de alta

Leia também: O que é DeFi? Como usar e quais os riscos envolvidos?

Leia também: 20 ações selecionadas para julho, segundas 2 corretoras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Após banir criptomoedas, China mira o Metaverso

Depois de proibir criptomoedas, China mira Metaverso

Depois que se tornou “destaque” da criptomoeda, a China agora parece que quer exercer o mesmo tipo de pressão no mercado de NFTs e no O Banco Popular da China, PBoC, falou ao National Financial Security Summit sobre sua…

Portal do Bitcoin Brasil
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Telegram
WhatsApp