CVM da Tailândia dá ultimato à Huobi e pede que exchange devolva fundos de clientes

CVM da Tailândia dá ultimato ao Huobi e pede troca para devolver fundos de clientes | Portal Bitcoin

A Comissão de Valores Mobiliários da Tailândia apertou o cerco a uma das maiores bolsas de criptomoedas do mundo , a Huobi, e deu três meses para que a empresa devoluta os fundos aos clientes e fechda sua plataforma local. As informações foram publicadas pelo Posto de Bangkok.

O motivo da interdição, conforme declaração da agência reguladora citada pelo site, é que a empresa não cumpriu requisitos regulatórios, mesmo o órgão tendo dado duas chances para fazê-lo nos últimos cinco meses. Além disso, diz a publicação, a CVM tailandesa elaborou uma resolução que recomenda ao ministro da Fazenda do país a revogação da licença de Huobi que estava sendo holofetada desde 2019. Entretanto, a troca mudou o nome para DSDAQ Co.Ltd.

Huobi não cumpriu requisitos

Durante uma revisão técnica no ambiente operacional da Huobi que ocorreu entre os meses de fevereiro e março deste ano, o regulador disse ter encontrado ambas falhas na estrutura e gestão de ativos da empresa e concluiu que tais irregularidades violaram os regulamentos.

A comissão se reuniu então e solicitou Huobi para corrigir os erros, de acordo com a Lei de Ativo Digital. No entanto, disse o regulador, a empresa não conseguiu resolver o problema dentro do cronograma.

Leia também

Huobi tenta voltar ao Brasil e libera compra de bitcoin em real

A Holding da Tailândia quer criar o maior hub de mineração de Bitcoin da Ásia

Bitcoin SV sofre ataque e corretagem suspende saques e depósitos de moeda

Em abril, o órgão decidiu pedir a Huobi para suspender temporariamente seus serviços e corrigir as falhas em uma determinada data. A comissão também pediu à empresa que devolver os ativos aos seus clientes.

No entanto, a troca continuou pedindo por extensões do prazo e foi atendida. No entanto, até o último dia 3 deste mês, a corretora ainda não tinha conseguido resolver os problemas após meses de espera.

O câmbio enfrenta os governos

No mês passado, Huobi entrou na mira do regulador da Espanha, a CNMV, junto com mais 11 empresas de criptomoedas, por oferecer derivativos de bitcoins. Informou que as empresas citadas não estão listadas no cadastro correspondente da comissão e, portanto, não estão autorizadas a fornecer serviços de investimento ou outras atividades sujeitas à supervisão da instituição.

Em julho, a bolsa decidiu dissolver sua subsidiária ‘Beijing Huobi Tianxia Network Technology Limited’, com sede em Beijing, China. O movimento também havia sido assumido por Okcoin um mês antes, devido à repressão do governo contra as empresas do setor.

Huobi lançou uma filial no Brasil em 2018, mas por motivo desconhecido encerrou as operações meses depois. No mês passado, mudanças na plataforma sugeriram que a empresa não desistiu do país, quando passou a permitir o uso do real na compra de bitcoin, ethereum, entre outras criptomoedas.

Tudo sobre: Huobi Tailândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Portal do Bitcoin Brasil
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Telegram
WhatsApp