Ethereum apresenta primeira semana de deflação desde início da EIP 1559

Ethereum apresenta primeira semana de deflação desde a criação do EIP-1559

A rede Ethereum (ETH) registrou, nos últimos sete dias, mais queima de Ether do que a quantidade emitida. Como resultado, registrou sua primeira semana com deflação desde que o EIP-1559 foi implementado em julho.

De acordo com o site Assista ao Burn, foi queimado 103.465 ETH nos últimos sete dias, contra 93.571 ETH que foram minados. Desta forma, o saldo líquido total foi de 9.894 ETH destruído, o que corresponde a R$ 249,8 milhões na cotação atual.

Dados sobre queima de ETH durante toda a semana. Fonte: Assista ao Burn.

Desde que o EIP-1559 foi introduzido, a rede já queimou mais de 703 ETH. No total, foram cerca de R$ 16 bilhões de dólares retirados do mercado em pouco mais de três meses.

Projetos que mais queimaram tokens

Grande parte da queima de ETH é gerada por projetos que utilizam o Ethereum para operar. Essas queimadas são realizadas por meio das taxas de transação, por exemplo.

Nesse sentido, plataformas como OpenSea e Tether queimaram grandes quantidades de ETH. Conforme o site da TokenView, ambos queimaram 296,6 ETH e 205,19 ETH, respectivamente. No entanto, a plataforma de tokens infungíveis (NFTs) Black in Back Kat realizou a maior queima, “apagando#8221; 1.105 ETH nos últimos sete dias.

Cinco projetos que queimaram a ETH mais na última semana. Fonte: TokenView.

Receita dos mineiros e “dinheiro de ultrassostrong”

Em contraste, a recompensa para os mineiros diminuiu drasticamente. Em sete dias, menos de 14 ETH foram distribuídos para os mineiros.

Como a mineração mudará de Prova de Trabalho (PoW) para Prova de Participação (PoS), os recursos para os mineiros serão agora opcionais, dados em formas de tipping.

Nesse sentido, grande parte dos mineiros se opôs à implementação da EIP no início. Esse foi o caso da Sparkpool, maior piscina de mineração da ETH.

Ainda de acordo com o Watch the Burn, houve uma redução líquida na quantidade de minerais ETH minados desde julho. Esse percentual chegou a mais de 100% na semana, o que, de acordo com o site, consolida o status de ETH como “dinheiro ultra-forte”, ou dinheiro ultra som.

No entanto, o quadrinho geral ainda indica uma emissão de ETH maior do que a queima. 730.659 ETH foram queimados, contra 1.197.613 ETH emitidos. No total, houve um aumento de 466.954 ETH em circulação.

Em resumo, a ETH caminha para apresentar momentos de deflação, mas ainda registra aumento líquido em sua licitação. Portanto, a inflação de criptomoedas segue, a médio e longo prazo, uma trajetória positiva e não deflacionária.

Leia também: Os analistas do Goldman Sachs declaram que Ethereum subirá 80% nos próximos meses

Leia também: EI Salvador construirá 20 “Escolas Bitcoin” com lucros a partir de criptomoedas

Leia também: Polkadot quebra máxima histórica e ultrapassa 50 pela primeira vez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Portal do Bitcoin Brasil
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Telegram
WhatsApp