Técnico de TI usava computadores de quartel de polícia na Polônia para minerar bitcoin

Técnico de TI usou computadores de barraquinhas da polícia na Polônia para minerar bitcoin | Portal Bitcoin

A Polícia de Varsóvia, capital da Polônia, descobriu que um técnico de TI vinha minerando bitcoin clandestinamente nos barracões ‘ computadores e o demitia na quinta-feira (29). De acordo com o jornal local TVN24, o mineiro clandestino não fazia parte da corporação, ou seja, era um funcionário terceirizado.  

De acordo com Mariusz Ciarka, porta-voz da polícia, ainda não foi possível precisar o tempo em que o funcionário operou o equipamento policial que ele mesmo adulterou para minerar a criptomoeda. Declarou, no entanto, que o técnico foi descoberto rapidamente e demitido pelo comandante-chefe da unidade, Jarosław Szymczyk.

As investigações devem continuar enquanto o caso também tiver chegado ao Ministério Público de Varsóvia De acordo com o TVN24, a entidade precisará contratar especialistas para avaliar os danos, tanto de eletricidade quanto de dados, caso tenha havido qualquer exploração do acusado.

De acordo com informações oficiais, nenhum dos quartéis ‘ bancos de dados com informações sensíveis estão em perigo.

Leia também

Video: Bitcoin empresa de mineração portátil “rouba” energia da Starbucks

Empresa de mineração de Bitcoin a partir da solicitação de registros dos EUA para IPO

Estatal da Venezuela corta energia agrícola da mineração de bitcoins

“Os bancos de dados são seguros, não encontramos nenhuma ligação através da rede interna”, disse Ciarka à reportagem, que repetiu a informação para outro veículo, ABC News, enfatizando que em nenhum momento o suspeito já teve acesso ao bancos de dados, no entanto lamentando que isso ocorreu dentro de uma unidade policial.

Mineração legal x ilegal de bitcoin

A atividade de mineração de bitcoin requer um alto desempenho de máquinas, o que requer muita eletricidade. Por isso, há lugares que não compensam o investimento por conta do alto custo da energia elétrica, como no Brasil, por exemplo, onde o consumo de energia não sai barato, com exceções a algumas regiões.

Um exemplo é o youtuber Denny Torres, que em Conceição do Almeida, cidade no interior da Bahia, conseguiu fazer renda com a sua “quarterback da mineração“, com base em extração de monero (XMR) e ethereum classic (ETC).

Em contraste com a expertise e a legalidade na função do youtuber, estão aqueles que procuram o caminho mais econômico ainda mais criminoso, roubando eletricidade de alheia. São casos diversos pelo mundo, inclusive no Brasil.

Em maio deste ano, por exemplo, um servidor público da prefeitura de Marília, interior de São Paulo, foi flagrado criptomoedas mineiras no ambiente de trabalho e agora enfrenta um processo judicial administrativo que pode levar à sua demissão.

De acordo com informações no Diário Oficial da cidade, o servidor teria instalado no site o seu próprio computador, mungado com uma placa de vídeo, para minerar criptomoedas em detrimento da energia elétrica do órgão público.

Tudo sobre: Mineração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Portal do Bitcoin Brasil
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Telegram
WhatsApp