"Vamos regular a interseção do Bitcoin com o mercado de câmbio", diz Banco Central da Argentina

” Vamos regular a interseção do Bitcoin com o mercado de câmbio “, diz Banco Central da Argentina | Portal Bitcoin

O Banco Central da Argentina (BCRA) quer evitar a conexão da bitcoin ao mercado de câmbio. “Vamos regular a interseção do Bitcoin com o sistema de pagamento e o mercado de câmbio”, disse o presidente do órgão, Miguel Ángel Pesce, em conferência realizada nesta terça-feira (10).

Para ele, bitcoin não é um ativo financeiro porque não está subjacente a nenhum ativo, não pode gerar qualquer rentabilidade, e que por isso deve ficar de fora de novas soluções para os meios de pagamentos. A informação é da Forbes, versão argentina.

“O que vamos regular é o sistema de pagamento em pesos através de mecanismos eletrônicos, que é o nosso papel como regulador”, sublinhou o presidente, durante a abertura do Fórum de Finanças Digital 3º. O evento foi organizado pelo Instituto Argentino de Executivos de Finanças (IAEF). Com o tema ‘A Estratégia de Transformação Digital’, o evento começou na terça-feira e embrulha-se nesta quarta (11).

Alerta aos pequenos investidores

Pesce também assegurou que o BCRA está a trabalhar para alertar os pequenos investidores sobre os riscos de investimento em criptomoedas devido a preocupações de que são usadas para obter ganhos indevidos, e principalmente de pessoas insuspeitáveis ou pouco sofisticadas.  

Leia também

Debate o debate do Banco Central com especialistas casos de uso do Real Digital

Fans of Bitcoin ‘invem’ Banco Central Twitter e ironize real digital

BC da Colômbia inicia testes de emissão de bônus blockchain

“Bitcoin foi criado como um mecanismo de transação substituta para o dinheiro em que o Estado não atendia a uma função”, disse Pesce, acrescentando que por se tratar de um raro por natureza, faz com que seu preço suba e leva à confusão de que é um ativo financeiro.

De acordo com Infobae, Pesce sublinhou, no entanto, que tais fatores não afetam a instituição financeira central, poupam se “esses instrumentos estão vinculados ao nosso mercado de câmbio, pois isso poderia danificar o instrumento e a regulação da Central”.  

Sistema de pagamento mais inclusivo na Argentina

Por outro lado, diz a Forbes, Pesce disse estar confiante de que o sistema Transfer 3,0-um sistema de pagamento mais inclusivo, de acordo com BCRA -estará totalmente operacional em novembro o que vai permitir a plena interoperabilidade entre os mecanismos de pagamento bancário e fintech em empresas com códigos QR ou outras formas de reconhecimento. De acordo com ele, o que vai ajudar a reduzir o uso de caixa e formalizar a economia.

Na moeda digital do banco central (CBDC), Pesce ressaltou que a digitalização avança muito forte e coloca muitos desafios tanto para o BCRA quanto para as instituições financeiras. No entanto, ele assegurou que a ideia de criar uma moeda digital não está sendo avaliada e que eles, em vez disso, esperam que a interoperabilidade entre a fintech e os bancos seja o mecanismo para digitalizar o uso do dinheiro.

Tudo sobre: ArgentinaBanco Central

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

Bitcoin é inevitável, diz sindicalista da CUT   Livecoins

Bitcoin é inevitável, diz sindicalista da CUT-Livecoins

Acompanhando o mercado financeiro há alguns anos, principalmente no setor bancário, Roberto vê que há uma diminuição nas ofertas de emprego neste setor, desde antes da Esse já era um cenário em discussão, já que as novas tecnologias e…

Portal do Bitcoin Brasil
Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Facebook
Telegram
WhatsApp